top of page

O Ritual Yoga

Atualizado: 17 de jul. de 2023


A Eficácia e a Performance Como Chaves da Transformação


O artigo explora o yoga como cultura imaterial da humanidade (já declarado pela O.N.U.). A cultura é constituída por diversos elementos, como veremos mais à frente, entre os quais o ritual. O ritual tem elementos, estruturas e dinâmicas, designadamente a eficácia e o desempenho (performance). Muito provavelmente, todos os dias nós praticamos rituais. A compreensão da dinâmica dos elementos do Ritual Yoga pode facilitar a transformação pessoal.


O yoga


O yoga pode ser compreendido como uma prática Mindbody. É uma prática holística com origem na Índia antiga. Abrange uma gama de disciplinas físicas, mentais e espirituais, destinadas a promover o bem-estar geral, a harmonia e estados ampliados de consciência. A palavra "yoga" é derivada da palavra sânscrita "yuj", que significa unir ou juntar. Em essência, o yoga busca unificar a mente, o corpo e o espírito por meio de várias práticas.


O aspeto físico do yoga envolve a realização de posturas, conhecidas como āsanas, que ajudam a fortalecer e alongar o corpo, e a melhorar a flexibilidade, o equilíbrio e a postura e promover o relaxamento. Esses āsanas são frequentemente combinados com técnicas de respiração consciente, conhecidas como prāṇāyāma, para aumentar o fluxo de energia e força vital por todo o corpo.

Além da prática física, o yoga inclui princípios filosóficos e éticos, relaxamento, concentração, reflexão, meditação, entre outras técnicas. O ênfase da prática é na autoconsciência, na introspeção e no cultivo da paz interior. O yoga não se limita ao exercício, mas é considerado um modo de vida que pode levar à auto-realização e ao crescimento espiritual.


Existem vários estilos e abordagens de yoga, incluindo as variantes do Haṭha Yoga, como o Aṣṭāṅga e o Kuṇḍalinī, entre muitos outros. Cada estilo enfatiza diferentes aspectos da prática, mas todos partilham o objetivo comum de promover bem-estar físico e mental, harmonia e autoconhecimento.


O yoga ganhou popularidade em todo o mundo, é praticado por milhões de pessoas devido aos seus inúmeros benefícios para a saúde, incluindo a redução do stress, maior flexibilidade, mais força, foco e concentração, e uma sensação de calma e equilíbrio interior. É importante salientar que o yoga é uma prática altamente adaptável a indivíduos de todas as idades e níveis de condição física. É possível modificar as práticas de acordo com as necessidades.

postura de yoga a criança


A cultura


A palavra cultura refere-se a crenças, costumes, valores, comportamentos, tradições e artefactos compartilhados que caracterizam um determinado grupo ou sociedade. Abrange o modo de vida de uma comunidade, incluindo a linguagem, as normas sociais, a religião e a espiritualidade, a arte e a música, a literatura, a culinária e outros aspetos que moldam a identidade e as interações entre os membros.

A cultura é aprendida e transmitida de uma geração para outra através da socialização, da educação e da experiência. Ela dá aos indivíduos uma estrutura para entender o mundo, moldar as perceções e orientar comportamentos. A cultura desempenha um papel significativo na formação da identidade das pessoas, nas relações sociais e no sentimento de pertença.


Os elementos-chave da cultura incluem: 1. Linguagem: O sistema de comunicação utilizado por um determinado grupo, incluindo as formas de expressão oral, escritas e não-verbais.

  1. Normas Sociais: As regras e expectativas não escritas que regulam o comportamento dentro de uma sociedade, como as boas maneiras, a etiqueta e os códigos de conduta.

  2. Valores e Crenças: Os princípios, ideais e padrões morais fundamentais de uma sociedade. Eles influenciam atitudes individuais e coletivas, julgamentos e tomadas de decisão.

  3. Tradições e Rituais: Práticas costumeiras, cerimónias e celebrações que possuem significado cultural e simbólico. Esses eventos geralmente marcam etapas importantes, marcos ou patamares sociopolíticos.

  4. Artes e Expressões: Várias formas de expressão criativa, incluindo as artes visuais, a música, a dança e o teatro, a literatura e a arquitetura, que refletem os valores, a estética e a história de uma cultura.

  5. Religião e Espiritualidade: Os sistemas de crenças, rituais e práticas relacionadas com aspetos sagrados ou transcendentes da vida. A religião e as Espiritualidade muitas vezes desempenham um papel significativo na formação de valores éticos.

  6. Alimentação: A comida tradicional e as práticas gastronómicas de uma cultura espelham os ingredientes locais, as técnicas culinárias e os hábitos alimentares.

  7. Vestuário: Os trajes e os adornos pessoais refletem as tradições, o clima, o estatuto social e a estética de uma cultura.

A cultura não é estática, evolui e adapta-se ao longo do tempo. É influenciada por eventos históricos, pela globalização, pela tecnologia e interações entre diferentes culturas. A cultura proporciona aos indivíduos um sentido de identidade e pertença, ao mesmo tempo que promove a coesão social e os valores coletivos dentro de uma comunidade.



A eficácia do ritual yoga


A eficácia no ritual refere-se aos aspetos transformadores ou ao poder percebido para produzir os resultados desejados. A crença no envolvimento numa prática ritualística tem um impacto tangível ou influência no objetivo ou intenção desejada. Os rituais geralmente envolvem um conjunto de ações, de palavras, de símbolos e posturas corporais executadas de maneira estruturada e simbólica. A eficácia está intimamente ligada ao sistema de crenças que envolve o ritual, bem como à fé, a intenção e sinceridade dos indivíduos que dele participam. O conceito de eficácia no ritual é baseado na ideia de que o ritual transforma. Se a transformação for permanente chama-se rito de passagem (a celebração do ano novo, o casamento, o divórcio, entre outros). Ao participar no ritual, os indivíduos acreditam que podem operar mudanças positivas, terapia, proteção, purificação, bênçãos ou outros resultados desejados.


A eficácia do ritual pode variar entre diferentes culturas e indivíduos. Muitas vezes é influenciada por ensinamentos culturais e doutrinários, experiências pessoais e crenças compartilhadas pela comunidade. A eficácia percebida no ritual também pode depender de fatores como a autenticidade dos praticantes do ritual, a presença de objetos ou locais sagrados, a adesão a práticas tradicionais e o estado emocional e psicológico dos participantes. Embora a eficácia no ritual seja baseada principalmente na ação e na experiência subjetiva, a investigação em psicologia explorou os benefícios psicológicos da participação nos rituais. Descobriu-se que os rituais promovem uma sensação de controle, reduzem a ansiedade, aumentam o foco e a concentração, aumentam a autoconfiança e fornecem uma sensação de significado e de propósito. Esses fatores psicológicos podem contribuir para a eficácia percebida e os resultados positivos associados às práticas do ritual. A eficácia dentro do ritual é um conceito complexo e multifacetado, e a sua interpretação e significado podem variar amplamente entre diferentes indivíduos e contextos culturais. É necessário estudar cada ritual em particular.

Performance ou desempenho

O desempenho refere-se à promulgação ou execução de práticas ritualísticas, como por exemplo a saudação ao sol e outras sequências coreográficas. A performance ou desempenho envolve mostrar aos outros as posições físicas e simbólicas, gestos, palavras e comportamentos realizados por indivíduos ou por grupos dentro de um ritual. A performance é uma parte integrante do ritual, pois dá vida ao ritual e o torna visível e tangível. Na performatividade ritualística os participantes geralmente seguem um conjunto de ações prescritas, sequências e elementos simbólicos que têm significado cultural, espiritual ou tradicional. Essas ações podem incluir cantar, recitar orações ou mantras, fazer gestos ou posturas específicas, oferecer sacrifícios, utilizar objetos rituais – como tapetes de yoga e almofadas de meditação – e participar nos ritos simbólicos.


O desempenho no ritual serve múltiplos propósitos:

  1. Expressa crenças e valores: A performance do ritual permite que os indivíduos ou as comunidades expressem para o exterior as suas crenças, valores e atitudes, como a não violência e regimes alimentares. O desempenho é um meio de comunicar e incorporar (embodiment) ideias e conceitos sagrados ou profundos.

  2. Criação de um espaço sagrado: Através da performance, os rituais criam um espaço distinto e sagrado, separado da vida cotidiana que é profana, instável e impura. As ações e os comportamentos realizados no ambiente do ritual ajudam os participantes a fazer a transição do profano para o sagrado, ou do trauma-dor para a terapia, criando um sentido elevado de espiritualidade e atenção plena.

  3. Facilitar a ligação comunitária: A realização de rituais geralmente envolve a participação coletiva, reúne indivíduos para uma prática ou experiência compartilhada. O desempenho fortalece os laços sociais, reforça a identidade do grupo e promove um sentimento de pertenca e coesão dentro de uma comunidade.

  4. Invocação de forças ou energias subtis: Acredita-se que a ação dos rituais invoca e envolve forças espirituais ou transcendentes, como divindades, mestres ancestrais, cakras, kuṇḍalinī ou energias divinas. As ações e oferendas simbólicas – pūjā – são vistas como um meio de estabelecer uma conexão com os poderes superiores.

  5. Facilitar a disciplina – tapas – e a transformação: o desempenho no ritual pode servir como um veículo para libertação emocional, purificação e transformação pessoal. A eficácia e o impacto da performance no ritual podem ser influenciados pela habilidade e experiência dos executores do ritual – os profissionais de yoga e meditação –, a autenticidade e sinceridade de envolvimento, a adesão a práticas tradicionais ou prescritas, a crença coletiva e a participação da comunidade. A performance no ritual pode assumir diversas formas em diferentes culturas, doutrinas e tradições. As ações, símbolos e práticas, envolvidas na performance do ritual podem variar significativamente, refletindo as crenças, os costumes e uma estética única de um determinado grupo ou comunidade yoguica.


postura de yoga e aulas de meditação


Níveis de transformação

A transformação pessoal refere-se a uma mudança profunda e significativa que ocorre num indivíduo em um nível profundo, muitas vezes leva a uma mudança fundamental nas suas perspectivas, crenças, valores, comportamentos. A transformação envolve um processo de auto-descoberta, crescimento e desenvolvimento que resulta numa vida mais autêntica, mais gratificante e com maior propósito. A transformação pessoal pode ocorrer em várias áreas da vida, incluindo:

  • Auto identidade: A transformação pessoal geralmente envolve uma reavaliação e redefinição da auto identidade. Pode envolver o questionamento e o desafio das crenças e papéis anteriores, explorar valores e paixões pessoais e o alinhamento com um sentido mais profundo de autenticidade.

  • Cosmovisão: A transformação pessoal pode envolver uma mudança nas crenças e nas perspectivas de vida. Pode incluir o questionar e o exame das crenças profundamente enraizadas, adotar novas visões de mundo, expandir a consciência e desenvolver uma mentalidade mais aberta e flexível.

  • Terapia: A transformação geralmente envolve uma abordagem às feridas emocionais, aos traumas ou aos problemas não resolvidos do passado. Esse processo permite que os indivíduos cultivem a resiliência emocional, a autocompaixão e o bem-estar emocional, físico e mental.

  • Relacionamentos: a transformação pessoal pode impactar os relacionamentos, levando a uma melhor comunicação, ligações mais profundas e limites mais saudáveis. Pode envolver abandonar relações tóxicas, nutrir conexões com grupos de apoio e desenvolver uma abordagem mais compassiva e autêntica no relacionamento com os outros.

  • Propósito e significado da vida: A transformação muitas vezes envolve a procura por um maior significado e propósito de vida. Pode envolver a exploração de valores, paixões e pontos pessoais fortes, para alinhar as ações e as escolhas com um sentido mais profundo de propósito e (auto)realização.

  • Comportamento e hábitos: A transformação pessoal pode levar a mudanças de comportamentos e de hábitos. Pode envolver a libertação de padrões negativos, a adoção de estilos de vida mais saudáveis, o cultivo de novas habilidades e o desenvolvimento de hábitos positivos que suportam o crescimento pessoal.

  • Espiritualidade: A transformação pessoal pode envolver um aprofundamento das práticas e das experiências espirituais. Pode incluir o aprofundamento de questões existenciais, o desenvolvimento da ligação com um poder superior ou consciência universal ou a procura de um sentido de transcendência e de paz interior.


A transformação pessoal é um processo altamente individualizado e contínuo. Pode ser desencadeada por diversos elementos catalisadores, como transições de vida, crises e traumas, desafios e obstáculos, experiências espirituais ou um desejo profundo de crescimento e realização pessoal. A transformação requer autorreflexão, introspeção, autoconsciência e pode envolver o apoio de mentores, terapeutas ou a participação em práticas como yoga e meditação, mindfulness ou outras modalidades de autoajuda.


A transformação pessoal é uma jornada subjetiva e única para cada pessoa. O caminho específico e os resultados da transformação podem variar muito, conforme as circunstâncias, as aspirações e o trabalho interior que é único em cada ser humano.


Conclusão


O yoga é cultura imaterial da humanidade e de acordo com De Michelis (2005, p.252) o yoga moderno postural é um ritual terapêutico. A nossa opinião vai mais além: defendemos que o yoga e a meditação são tecnologia transformadora ao dispor da humanidade. No entanto, para que a transformação pessoal ocorra é necessário eficácia e desempenho. A prática deve ser reflexiva, contemplativa e regular. Só assim é que o yoga transforma os indivíduos. Se o yoga-meditação ainda não lhe proporcionou a transformação desejada, equacione participar nas minhas aulas.


Referências


Elizabeth De Michelis (2005). A History of Modern Yoga. London: Continuum.


Comentários


Plano-membros-2024_edited.jpg

Categorias

Etiquetas de artigos

bottom of page